Qual é o papel dos avós na educação dos netos?

É fundamental!
Sempre que possível, deve-se fomentar o contacto das
crianças com os avós, porque são um exemplo a seguir e uma fonte de equilíbrio
emocional e tranquilidade para os netos (na maior parte das vezes).
Claro que, de um modo geral, há algumas (bastantes)
diferenças entre a forma de educar dos pais e dos avós, mas se não houver
grandes diferenças nos pilares e valores familiares mais importantes, atrevo-me
a dizer que até é bom que seja assim. Isso vai permitir à criança adequar o seu
comportamento a cada situação em particular, o que acaba por estimular a sua
perspicácia e inteligência. Geralmente os avós são mais permissivos (costuma-se
dizer, com alguma piada, que “os pais educam e os avós deseducam”), mas isso
não tem que ser necessariamente mau. Pelo contrário, pode servir para criar uma
cumplicidade saudável entre avós e netos, desde que não perturbe a forma de
educar dos pais.
Também a perspectiva de brincar dos avós é diferente
(geralmente menos “tecnológica”), o que acaba por poder ser uma vantagem para
as crianças, que percebem que é possível passar o tempo de forma diferente.

Infelizmente, com o alargar da idade da reforma, vemos cada
vez menos tempo disponível dos avós para estar com os netos, o que condiciona um
pouco esta relação natural e salutar de “passagem de testemunho” entre
gerações.

Partilhe o artigo