Resista aos ecrãs!

Estamos em período de férias escolares e é a altura do ano em que, geralmente, os pais passam mais tempo com os filhos. Por esse motivo, convém pensar um pouco quais as opções mais interessantes para poderem usufruir uns dos outros da melhor forma possível.

Uma das questões sobre a qual vale a pena debruçarmo-nos um pouco é sobre o uso dos chamados ecrãs (televisão, tablet, computador, smartphone, consolas, …). Em tempo de aulas existe alguma preocupação dos pais sobre este assunto, mas nas férias a atitude é um pouco diferente. Os motivos são inúmeros, mas não há dúvida de que o abuso dos ecrãs nesta altura do ano é gritante, razão pela qual faz sentido pensar nas possíveis consequências que isso pode acarretar:

– Pouco tempo ao ar livre

Como é lógico, se as crianças ficam “agarradas” aos ecrãs acabam por ficar muito mais tempo fechadas em casa e, se há altura do ano em que devemos aproveitar para andar na rua e aproveitar o bom tempo é mesmo no Verão! Passeie com os seus filhos, visite lugares e espaços diferentes e tente que eles contactem com a maior diversidade possível de experiências e locais. Isso vai enriquecê-los e ajudará no seu desenvolvimento enquanto crianças e, mais tarde, adultos.

– Sedentarismo

O sedentarismo é um dos maiores problemas que a nossa sociedade enfrenta actualmente. Trata-se de um verdadeiro problema de saúde pública, pois está intimamente associado à obesidade e risco de problemas cardiovasculares. As crianças precisam de realizar actividade física para serem saudáveis, mas também para poderem desenvolver as suas competências motoras e se descobrirem a si próprias e ao mundo que as rodeia. E, se durante o ano lectivo nem sempre existe muito tempo disponível, nas férias é preciso aproveitar!

– Diminuição da socialização

As crianças precisam de socializar para se desenvolverem de forma adequada. E essa socialização deve ser com adultos, mas também com outras crianças. Por esse motivo, é importante levá-las ao parque, à praia, ao campo e a todos os locais possíveis onde elas possam conviver com outras pessoas. Se o fizer, rapidamente os seus filhos vão criar laços com outras crianças, mesmo que não as conheçam de lado nenhum. É natural e muito positivo que seja assim!

– Interferência com as rotinas do período escolar

É verdade que as rotinas de férias são diferentes das do resto do ano e faz todo o sentido que seja assim. No entanto, tem que se perceber que, à medida que o período de férias vai acabando, elas se devem aproximar aos poucos das rotinas “normais”, do dia-a-dia, de forma a que a transição se faça suavemente e sem grandes sobressaltos. Assim, por exemplo, se o seu filho geralmente não está autorizado a jogar consola durante a semana em tempo de aulas e nas férias o faz todos os dias, deve ir reduzindo esse tempo progressivamente para que ele não sinta uma mudança muito brusca. Se tiver esse cuidado não vão surgir problemas nenhuns.

Em jeito de conclusão, gostaria de frisar que compreendo perfeitamente que as férias são uma altura em que os pais também precisam de descansar e não sou, de todo, contra a utilização dos ecrãs nesta altura. Por vezes são a principal fonte de momentos calmos que também são necessários para poder relaxar. Aliás, até acho que se as crianças têm regras durante o ano escolar, faz sentido que as quebrem um pouco neste período, pois devem fazer as coisas de que mais gostam. A questão prende-se, essencialmente, com a gestão do tempo e com o uso de algo imprescindível para o nosso dia-a-dia: o bom senso! Se ele existir, pode-se ir de encontro às vontades de todos, tornando as férias uma altura (ainda) mais agradável!

Aproveite-as bem!

 

Texto escrito para a Bolsa de Especialistas do site da Revista Visão.

Partilhe o artigo