Piolhos – uma verdadeira “dor de cabeça”


Todos os anos surgem verdadeiras epidemias de piolhos um pouco por todo o lado, que causam grande ansiedade aos pais. Pela sua frequência importa saber um pouco mais sobre este assunto, particularmente em relação ao que são verdadeiramente os piolhos e as lêndeas.

Piolhos

Os piolhos são insectos pequenos que “habitam” as áreas com pelos, particularmente a região do cabelo e não saltam nem voam, apenas se deslocam “andando”. Por esse motivo, o contacto só pode ser feito através do contacto directo “cabeça com cabeça” ou então de forma indirecta, através do contacto com superfícies contaminadas (chapéus, capuchos, golas de roupa, ou toalhas por exemplo).

Uma vez na cabeça, vão-se alimentando de pequenas quantidades de sangue que obtêm através de picadas no couro cabeludo. Essas picadas são responsáveis pelo surgimento da comichão, que muitas vezes caracteriza este tipo de situação. Os locais mais afectados costumam ser as regiões da nuca e atrás das orelhas.

Lêndeas

As lêndeas são os ovos dos piolhos e têm um aspecto branco e ligeiramente alongado. Surgem agarradas aos cabelos, junto ao couro cabeludo e são de difícil remoção. O tempo de incubação de cada lêndea é de cerca de 8 dias, até originar um novo piolho.

Cuidados gerais

O primeiro aspecto a reforçar é que os piolhos não são um reflexo de falta de higiene. São insectos bastante contagiosos e, como tal, podem surgir em qualquer pessoa, sendo que são muito mais frequentes na infância, pelo contacto próximo entre as crianças.

Existem diversos tratamentos disponíveis, mas é fundamental cumprir escrupulosamente as indicações do fabricante, pois só assim e conseguem garantir elevadas taxas de eficácia. Depois do tratamento, é essencial utilizar um pente de piolhos, que tem os dentes muito finos e permite a remoção das lêndeas, passando por todos os cabelos sem excepção.

Também é importante lavar as superfícies potencialmente contaminadas, tendo atenção especial às roupas, fronhas, lençóis e toalhas.

Por fim, convém não esquecer que na maior parte das vezes é útil repetir o tratamento ao fim de 8 dias, precisamente pelo facto de ser esse o tempo que as lêndeas demoram a eclodir e originar novos piolhos. Não é necessário para todos os produtos, mas pode ser uma garantia adicional de eficácia.

Partilhe o artigo

Partilhar o Artigo